segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Treinamento funcional- Aposte nos intervalados para perder peso



Buenas!

Já venho a muito tempo atuando com treinos combinados, treinos híbridos, treinos intervalados, pois vejo que esses tem resultado mais eficaz para condicionamento físico, além de potencializar o tempo de treinamento, onde considero que com essas abordagens de treino, consigo Mais resultado com Menos tempo. Na realidade, aplico isso sempre respaldado por diversos artigos e pesquisas atuais que corroboram com essa ideia, de que em se tratando de condicionamento físico, essa é melhor forma de trabalho nos treinamentos.

E por aí seguem exemplos de profissionais e pesquisas que atestam muito resultado, inclusive, maior eficácia na utilização de treinos de alta intensidade para "queimar" mais gordura. Então nessa categoria se encaixa perfeitamente o treinamento intervalado, seja em forma de um tiro de corrida ou até mesmo trabalhos de potência e levantamentos. Ainda é possível utilizar também o que treinadores americanos como o Dos, se referem como Cardio Strength Training, o que para nós significa treinamento de força cardio. O CST, por exemplo, proporciona através de exercícios de força explosivos e intensos, a elevação da frequência cardíaca, onde por exemplo, é muito interessante utilizar exercícios com kettlebell.

Mas como é possível gastar mais energia proveniente da gordura com trabalhos de curta duração e alta intensidade, se o treino "dito" como ideal para queimar gordura deve ser realizado à 60% à 70% da capacidade de trabalho? Realmente, trabalhar dentro de 60% à 70% é ideal para consumir gordura através da utilização do O2, porém, isso acontece mesmo a partir de 30 minutos de exercío aeróbio. Essa também foi uma das afirmativas dos estudos de Cooper, os quais foram importantes para a evolução de pesquisas e maior divulgação do exercício físico. Porém, hoje já existem muitos estudos que comprovam maior eficiência nos treinos de alta intensidade, pois esses "turbinam" o metabolismo, obrigando o organismo a continuar gastando ( principalmente carboidratos e gordura) para haver recuperação após o esforço.  

Então, quando opto por utilizar trabalhos desse tipo, busco realmente maior resultado em condicionamento, além de potencializar o tempo de trabalho. Normalmente o treino de cada aluno dura cerca de 1 hora, e esse tempo pode ficar curto se tiver de fazer um treinamento eficaz de força e ainda treinar a parte aeróbia.  Com essa divisão no treino vai dar para fazer no máximo 15 minutos de exercícios de força e no máximo 35 minutos de aeróbio, contando o aquecimento e regeneração ou volta à calma. Não creio que essa divisão seja muito interessante, além de possivelmente ser monótona para o aluno, por isso aposto nos intervalados e CST, o que faz com que o aluno treine de forma eficaz os três sistemas energéticos em uma hora de treino. Traçando um comparativo, por exemplo, com um treino de corrida, será muito mais funcional para o metabolismo realizar 30 minutos intevalado, ou seja, variando a intensidade, do que correr por 1 hora na mesma intensidade. O melhor resultado será alcançado com variações na frequência cardíaca, seja para condicionamento ou queima de gordura.

Nesse sentido, o treinamento funcional possibilita maior variedade de estímulos, ativando muito o metabolismo energético e aí está a diferença, pois,  aliando alimentação  correta só trará maior consumo de gordura. Menos gordura corporal significa menos chances de problemas de saúde, e esse é mais um grande benefício a ser considerado. Fica sempre a lembrança de que exercícios intervalados e explosivos podem ter a sua técnica comprometida, o que pode resultar em lesões, então fica calro que esse tipo de treino só deve ser praticado por indíviduos com boa base de treinamento e acima de tudo, orientados por profissional de educação física experiente no assunto. Sigam treinando e queimando... GORDURA!

FROM THE CORE

Fabiano Piassarollo
"Core Life Performance" 

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Estabilizadores- Força binária do ombro


Que beleza esse exercício realizado por meu colega em um dos cursos de Sling com o alemão Cornell. Pendurado pelos pés o "índio véio" tem de manter a estabilização e ainda fazer um apoio, esse com certeza é só para quem pode mesmo.

Mas também há aqueles que falarão que não há desenvolvimento de força em bases instáveis, então esses que partilham essa ideia é que tentem e sintam "na pele" se não farão força. Eu até afirmo que muitos que elevão mais de 100kg no supino, e são tidos como fortes, não conseguem utilizar "sua força" aqui, por isso sempre enfatizo que se desenvolva força de forma funcional.

 Nesse movimento há um grande trabalho dos estabilizadores de ombro. Podemos considerar esse um grande exemplo do conceito de força binária, onde não adianta nada os mobilizadores (deltóides) estarem fortes, se os estabilizadores ( "los 4" do manguito) estiverem fracos. Portanto fica a dica até para que não ocorra lesão, trabalhe a musculatura em todos os movimentos da articulação do músculo em questão, e além de focar na amplitude de movimento, antes, tem de haver um trabalho que estímule uma consciência para a estabilização articular. Feito isso, o desenvolvimento ocorre naturalmente, o que vai potencializar o movimento e consequentemente performance.

Não posso deixar de enfatizar que a ativação dos profundos músculos do tronco, aqui nesse exemplo, é peça fundamental para a eficiência desse trabalho, pois, sem a ativação dos "core muscles", dificilmente o indivíduo conseguirá sustentar a posição. É fato também que esse exercício é ótimo para "trincar" o abdômen, e aqueles alunos que são acostumados a realizar muitos exercícios para essa região, como as tradicionais flexões de coluna no chão, sentirão muito a diferença desse exercício. Há até quem pense ser fácil, porém quando tentam realizar notam que de fácil não há nada, e ainda por cima sentem o resultado no dia seguinte ao exercício.

Sigam se exercitando e praticando seu treinamento funcional de acordo com seus objetivos e "lenha na fogueira" para queimar calorias.

Trilha com os mestres do Black Sabbath em Spiral Architet, pedrada clássica: http://www.youtube.com/watch?v=BSztKm5Kx0s&feature=fvst

FROM THE CORE

Fabiano Piassarollo
"Core Life Performance"

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Para treinar basta querer...


Buenas!
Hoje há muito blá blá blá sobre o que é treinamento funcional, que isso é e que aquele professor não é, treinar em base instável não é, levantar peso é, enfim... Com todo respeito, isso não leva a nada, para mim é perda de tempo. Apliquem seu trabalho e partam do presuposto de que do ponto de vista fisiológico, quando se quebra a homeostase, todo treino será funcional para DETERMINADO OBJETIVO. É simples, mas recebo alguns newsletters de outros profissionais e vejo que eles ficam nessa. O pior é que quando leio alguns tem certa coerência, mas outros ficam nessa discussão de que não irão mais usar o termo treinamento funcional, e para mim isso é simples NÃO USEM.

Movimentem-se e trabalhem ao invés de ficar discutindo, se não quer usar treinamento funcional aliado à seu trabalho não usa, mas é que às vezes uns iniciam a "onda de não utilizem o termo treinamento funcional", e com todo respeito, outros tantos, acabam seguindo, parecendo macacos imitando uns aos outros. É que esses newsletters para mim são "encheção de saco", cada profissional é que sabe o que ou não utilizar em seu trabalho, então se  esse ou aquele usam o termo funcional, ótimo para eles, e para os que não usam, excelente.

 É que uns prestam mais atenção no que os outros fazem do que no que os próprios fazem, esse é o problema, dessa forma, chegam até a rotular que esse faz um trabalho puramente funcional, o outro mistura, e outro não é nada funcional. E o pior é que parecem umas "tias velhas" escrevendo e falando sobre isso. Pois é, sobre esse tema era isso, agora não lerei e perderei mais meu tempo abrindo newsletters de sites e blogs, pois muitos deles só falam sobre "ser ou não ser treinamento funcional", e outros simplesmente "COPIAM" os outros sites e blogs em uma tremenda falta de criatividade.

Para amenizar, façam como o camarada da foto, ficou com vontade de treinar e até a natureza ajudou, ou seja, para se exercitar não há hora ou lugar, basta estar disposto e por o corpo para funcionar, aproveitando a oportunidade, o local e o equipamento disponível, no caso, só dois corrimões que haviam. Treinamento funcional até a hora de parar. 

Trilhas do post:
Acústicos & Valvulados com Céu da Noite:

 Alice in Chains com Check my Brain:


FROM THE CORE

Fabiano Piassarollo
"Core Life Performance"

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

TRX combo set apoio+lunge com flexão de ombros


 


video


Acima, um exemplo de série combinada utilizando TRX. Um apoio e na sequência lunge com flexão de ombros, esse último, um exemplo de exercício híbrido. Considero esse um set eficaz para força, resistência, mobilidade, core muscles e ativação cardio, pois, principalmente no lunge há maior elevação da FC.

Uma das grandes vantagens que vejo em utilizar o TRX, é que ele permite treinar ao ar livre, o que é uma alternativa para quem não gota de academias.  Só é necessário ter um TRX, uma árvore, vontade de treinar e um profissional qualificado para orientar o treino, depois é só colher os resultados.

Trilha desse post é com o ídolo Mike Patton com o projeto Tomahawk, pura criatividade, qualidade e a já tradicional e abençoada loucura de Patton:


FROM THE CORE

Fabiano Piassarollo
"Core Life Performance"

terça-feira, 11 de outubro de 2011

CURSO DE TREINAMENTO FUNCIONAL 08 e 09 de outubro


Foto com a turma que participou de mais um curso de treinamento funcional em Porto Alegre, agradeço e parabenizo à todos pela presença e participação. Espero e desejo que todos os profissionais que participaram apliquem seus treinamentos de forma funcional, especificamente à seus objetivos e a de seus alunos e atletas, pois treinando com seriedade, postura correta, movimentos adequados, com periodização e segurança, podem ter certeza que o resultado aparecerá.

Também faço votos que aproveitem a demanda de mercado e desenvolvam aulas criativas, motivantes e desafiadoras para seus alunos. Se aplicarem o treinamento funcional com qualidade, segurança e ética, não há dúvidas de que colheram bons frutos na profissão.

Agradeço também à Aerostep com sua infraestrutura e sua equipe que garante a realização do curso, obrigado por mais essa oportunidade, além do CREF-RS pelo apoio, em especial ao nosso Presidente regional, professor Eduardo Merino.

Treinem de forma inteligente, treinem funcionalmente!

Trilha do post: Mike Patton com seu projeto Mondo Cane cantando em italiano, muito bom mesmo: http://www.youtube.com/watch?v=0KTPgnrOGSs

FROM THE CORE

Fabiano Piassarollo
"Core Life Performance"